O fim do homem cordial

      Na última semana, a mídia divulgou dados do Ministério da Saúde no Atlas da Violência 2018, publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). O que se conclui desses números é assustador: nunca antes o Brasil teve tantos homicídios. Foram 62.517 mortes em 2016, último ano com dados disponíveis. Proporcionalmente, são 30,3 homicídios para cada 100 mil pessoas, também a maior taxa já registrada no Brasil. Para comparação, é 30 vezes a taxa da Europa.

O caderno de cultura Aliás, do Estadão, entrevistou a historiadora Mary Del Priore, em matéria sobre o lançamento “História dos crimes e da violência no Brasil”, organizado por Mary Del Priore e Angélica Müller. Na entrevista, a autora destaca que uma leitura equivocada de Sérgio Buarque de Holanda faz alguns pensarem que “ser cordial” é abolir a violência nas relações com o outro, mas Holanda quer mostrar que a polidez é um disfarce. Como a História pode nos ajudar a compreender essa realidade tão violenta?

Confira: Estadão entrevista Mary del Priore

mary

Mary del Priore

 

Fonte: Editora Unesp

2 Comentários

  1. Chefferson 11 de junho de 2018
  2. IRACI 10 de junho de 2018

Deixe uma resposta