DIA INTERNACIONAL DA MULHER: A LUTA DAS MULHERES GANHA PÁGINAS EM QUADRINHOS

mulher15

Por Natania Nogueira.

No dia Internacional Mulher ganhamos uma homenagem na forma de uma História em Quadrinhos (HQ). Ela não foi criada com fins comerciais, trata-se de uma HQ eletrônica, de leitura gratuita. Seu título é bem sugestivo: Pão & Rosas. Seus autores são Hector Lima (roteiro), Mario Cau (arte). Dois homens que se solidarizam com a luta das mulheres por melhores condições de trabalho, no início do século XX. Luta esta, é bom lembrar, que se repete a cada dia, nos quatro cantos do planeta.

A HQ relembra de forma emocionante o episódio ocorrido em 1912, quando as operárias da indústria têxtil da cidade norte-americana de Lawrence, Massachusetts, entraram em greve por melhores condições de trabalho. As manifestações duraram três meses e foram reprimidas com grande violência pelas autoridades. É difícil ler sem se emocionar.

Durante as manifestações, as operárias gritavam ‘Queremos Pães e Rosas’, uma referência ao poema escrito por James Oppenheim, em 1911.  O jovem e idealista James Oppenheim estudou na Universidade de Columbia, tornou-se poeta e romancista e, entre os anos 1916-1917, foi diretor da revista The seven arts. Foi ainda ativista filiado no sindicato IWW (Industrial Workers of the World). Bread and Roses é, talvez, sua obra mais conhecida e tornou-se o símbolo da luta das mulheres. Chegou a ser musicalizado, sendo um hino cantado até os dias atuais.

Neste dia Internacional da Mulher, faço um convite para homens e mulheres: leiam o poema, Pão e Rosas, ouçam sua versão musicalizada e leiam a HQ que leva o mesmo nome. Depois disso reflita sobre o papel da mulher na nossa sociedade e sobre o significa de incansáveis lutas que, claro, deixaram mártires mas, acima de tudo, que deixaram exemplos de coragem e perseverança. Assim, quem sabe, num futuro próximo não precisaremos comemorar o Dia da Mulher.

As rosas vermelhas passaram a ter outro sentido para mim, ainda mais aquelas que são tradicionalmente distribuídas pelos comerciantes no dia 8 de março.

Pão e Rosas ( James Oppenheim)

Enquanto vamos marchando, avançando através do belo dia,

um milhão de cozinhas escuras e milhares de fábricas cinzentas

são tocadas por um sol radioso que subitamente abre,

e o povo ouve-nos cantar: Pão e rosas! Pão e rosas!

Enquanto vamos marchando, avançando,

Lutamos também pelos homens

pois eles são filhos de mulheres,

e como mães os protegemos.
Não mais seremos exploradas desde o nascimento até à morte

os corações mirram de fome, assim como os corpos.

Dai-nos pão, mas dai-nos rosas também !

 Enquanto vamos marchando, avançando,

milhares de mulheres mortas

gritam através do nosso canto o seu antigo pedido de pão;

exaustas pelo trabalho, não conheceram a arte, nem o amor, nem a beleza.

Sim, é pelo pão que lutamos, mas também lutamos por rosas!
À medida que vamos marchando, avançando

trazemos conosco dias melhores.

Erguem-se as mulheres e isso significa

Que se ergue a humanidade.

 Basta de agonia para o trabalhador e de ócio para o malandro:

o suor de dez que trabalham para um que nada faz.

Queremos compartilhar as glórias da vida: pão e rosas, pão e rosas!

 Não permitiremos a exploração desde o nascimento até à morte;

os corações morrem de fome, assim como os corpos :

Pão e rosas, pão e rosas!

 

PÃO e Rosas. Trad.de Júlia Ribeiro. Disponível em http://lelodemoncorvo.blogspot.com.br/2012/03/dia-internacional-da-mulher-pao-e-rosas.html, acesso em 06 mar. 2015

Link do Youtbe para a versão cantada do poema:

http://www.youtube.com/watch?v=VEffTvbVqmc#t=25

 

A HQ Pão & Rosas pode ser acessada pelo link: http://petisco.org/extra/2015/01/pao-rosas-capa/

 

Deixe uma resposta