Professor: queremos ouvir a sua história. Conte-nos!

Por Mary del Priore.

No cenário político, a melhor notícia dos últimos oito anos foi a indicação de Renato Janine Ribeiro para o Ministério da Educação. Fui sua aluna e sei: ele é brilhante! Além de erudito, um humanista e diplomata. É capaz de tirar um tantinho a tal “pátria educadora” do lamaçal onde se encontra. Nós, historiadores, sabemos que a educação sempre foi uma miragem e a maior parte de nós teve que dar sangue, suor e lágrimas para estudar.

Em entrevista recente, Renato mostrou sua lucidez. Segundo ele, a educação básica é a prioridade política do Brasil há vários anos. “Há pelo menos 20 anos todos os ministros da Educação dizem isso, mas a gente ainda não conseguiu dar um salto de qualidade decisivo nessa área”, explicou. O consenso, porém, é de quem sem educação, nada funciona. Apesar do retrato realista e ruim, vejo grandes esperanças todos nós!!!

Ainda, segundo Renato, “A esperança com a educação não é pequena. A sociedade tem de arregaçar as mangas. O professor tem de voltar a ser respeitado. Precisamos de muitas coisas. Tem a questão do salário, que precisa ser equacionada e se choca com as limitações orçamentárias”.

Deixando de lado a questão do dinheiro que, sabemos, nunca chega, gostaria de me deter na atenção do ministro para outro tema. O do “respeito ao professor”. A expressão vem de encontro ao cotidiano de milhares de nós que não encontra na sociedade, nos alunos e às vezes, entre os próprios pares, o respeito que nos é devido. O dia a dia dos professores tem sido infernal. São infinitas queixas sobre violências, grandes e pequenas, de toda a sorte. A intensidade do sofrimento de professores e profissionais da educação impressiona, mas, disso ninguém fala.

Contra o silêncio e o “constrangimento” – como me disse um deles, dia desses -vamos criar um espaço no blog destinado exclusivamente aos educadores. “Professor: Conte sua História” está aberto para receber todo o tipo de relato que permita compartilhar as dificuldades e as dores da atividade. Precariedade de instalações, violência de alunos, racismo, homofobia, maus tratos, enfim, tudo o que faz parte do cotidiano complicado de tantos de nós. Todas as sextas-feiras, publicaremos textos curtos relatando uma má experiência, que podem vir acompanhados de fotos em boa resolução e que podem também ser assinados sob pseudônimo para evitar perseguições. Vamos começar na semana que vem com uma discussão entre os vereadores da Câmara de Leopoldina (MG) e um professor sobre aumento justo de salários, cercado de grosserias por parte dos políticos!

Queremos o “respeito ao professor”, de volta. A ideia é inaugurar um grande debate e compartilhamento do cotidiano, longe dos discursos utópicos sobre Educação feitos em Brasília. Vamos agir, conversar, dividir nossas experiências e nos ajudar enquanto nos acenam com mudanças.

Participe. Conte a sua história e divida suas experiências com outros profissionais que passam pelas mesmas dificuldades. Mande seu relato para o email do blog: historia.hoje@bol.com.br .

IMG_8614[1]

 

17 Comentários

  1. MARIA TERESA DA SILVA GALVÃO NAZATO
  2. Thiago Genaro
      • Thiago Genaro
  3. LEUDA FERNANDES FERREIRA
  4. Natalia Montes
  5. Sergio
    • Sergio
    • Kitty Haasz

Deixe uma resposta