São Sebastião foi capitão da guarda pessoal do imperador Diocleciano

O padroeiro do Rio de Janeiro fez parte da Guarda Pretoriana, em Roma, mas sempre ajudava os cristãos, apesar das ordens de persegui-los. Condenado à morte, sobreviveu à primeira sentença. Séculos mais tarde, se tornou o padroeiro do Rio de Janeiro. Confira os comentários de Mary del Priore para o programa “Um Rio de Histórias”, da Rádio CBN:

São Sebastião foi da guarda pessoal de Diocleciano

 

São-Sebastião

Deixe uma resposta