Mulheres escritoras no século XIX

No século XIX, as discussões sobre o papel das mulheres na sociedade e a sua busca por igualdade começam a ganhar força, e muitas mulheres passam a escrever e publicar artigos e livros na Europa e na América. No Brasil, essas mudanças acontecem lentamente, como relata Norma Telles, no artigo “Escritoras, escritas, escrituras” (“História das Mulheres no Brasil”, ed. Contexto/Unesp, 1997). A autora nos conta que, em 1823, foi impresso um manifesto assinado por 120 mulheres em apoio ao processo de independência e também reivindicando um lugar nesse novo Brasil que se formava. Isso demonstra que o país já sentia os efeitos das transformações sociais e culturais.

As brasileiras começaram a publicar livros e a colaborar com periódicos, quase sempre sob pseudônimos. Uma das mais conhecidas pioneira é Nísia Floresta. “Educadora, escritora e poetisa brasileira do século XIX. É considerada uma pioneira do feminismo no Brasil e foi provavelmente a primeira mulher a romper os limites entre os espaços públicos e privados publicando textos em jornais, na época em que a imprensa nacional ainda engatinhava. Nísia também dirigiu um colégio para moças no Rio de Janeiro e escreveu livros em defesa dos direitos das mulheres, dos indígenas e dos escravos”.

"A Leitura", Jean-Honoré Fragonard

“A Leitura”, Jean-Honoré Fragonard

Entretanto, houve muitas outras que se destacaram e abriram caminho para que outras seguissem o caminho das letras: Narcisa Amália, Maria Firmina dos Reis, Maria Benedicta Bormann e Júlia Lopes Almeida. A Biblioteca do Senado Federal separou alguns textos importantes para quem quer conhecer um pouco mais sobre essas escritoras e jornalistas. “História das Mulheres no Brasil”, ed. Contexto/Unesp, 1997, organização de Mary del Priore; “Opúsculo humanitário”, de Nísia Floresta; e “Equidade de Gênero em Nísia Floresta”, de Graziela Grinaldi Rosa.

Confira no link: http://bit.ly/Textos_Nísia

 

Duas amigas, de Georgina de Albuquerque

“Duas amigas”, de Georgina de Albuquerque

 

Deixe uma resposta