Uma feminista no Brasil do século XIX

Publicado em 22 de janeiro de 2016 por - História do Brasil

Em 1868, era publicado o “Tratado sobre a emancipação da mulher”. A autora preferiu o anonimato, afinal, um Brasil imperial, escravista e patriarcal provavelmente não estava aberto a discutir questões relativas aos direitos das mulheres. O documento reivindica a participação feminina na política, no mercado de trabalho e na educação, além de defender o voto feminino. A obra está disponível na Biblioteca Brasiliana Mindlin.

voto-mulheres-e1447937685976

Saiba mais no blog BBM:

http://blog.bbm.usp.br/2015/tratado-sobre-a-emancipacao-da-mulher-uma-feminista-no-brasil-de-1868-2/

emancipaçaotratada

FONTE: Biblioteca Brasiliana Mindlin (USP). Imagens e informações. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 Comentários

  1. Prof. João Batista do Nascimento disse:

    ARTIGO APONTA PRIMEIRAS DOUTORAS EM MATEMÁTICA NO PAÍS, 13 Abr 2015, http://www.cnpq.br/web/guest/noticias-popularizacao/-/journal_content/56_INSTANCE_a6MO/10157/2533999

    DIVULGA CIENTISTA – MARÍLIA CHAVES PEIXOTO, PRIMEIRA DOUTORA EM MATEMÁTICA NO BRASIL,
    https://blogdivulgaciencia.wordpress.com/2015/08/17/divulga-cientista-marilia-chaves-peixoto-primeira-doutora-em-matematica-no-brasil/,

    ALGUMAS MULHERES DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA E QUESTÃO DE GÊNERO EM C & T., http://sitiodascorujas.blogspot.com.br/2013/06/mulheres-na-matematica.html

    CONHEÇA MARIA LAURA MOUZINHO LEITE LOPES, UMA DAS PRIMEIRAS DOUTORAS EM MATEMÁTICA DO BRASIL! http://encontrodejovenscientistas.com/2015/02/02/conheca-maria-laura-mouzinho-leite-lopes-uma-das-primeiras-doutoras-em-matematica-do-brasil/

    MARÍLIA CHAVES PEIXOTO, Santana do Livramento/RS, 24/02/1921 – RJ,05/01/1961
    http://www.aplateia.com.br/VisualizarNoticia/6226/dia-5-registra-os-54-anos-de-morte-da-santanense-marilia-chaves-peixoto.aspx

  2. Francisca Paschoal disse:

    Antes dela, em 1849,Nísia Floresta Brasileira Augusta, publicou o “Opúsculo Humanitário”,fruto das suas vivencias na Europa e reflexões sobre a situação da mulher brasileira, nele se encontra artigos sobre a emancipação feminina, mulheres negras, indígenas, direito a voto, liberdade de expressão, direito a uma educação que não fosse restrita somente aos bons modos , mas que abrangesse línguas, matemática, ciência, filosofia, história.Nísia causava constrangimento nos salões cariocas, quando discutia de igual para igual com os homens da época, foi taxada de “machona”, sua atitude e pensamento mereceram a atenção do pai do positivismo, Augusto Comte.

    • marcia disse:

      Oi, Francisca. Nísia Floresta já foi tema de vários artigos aqui no nosso blog. Em nenhum momento,foi dito que esse era o primeiro ou o único documento dobre emancipação das mulheres no Brasil do século XIX. Apenas estamos indicando o material pelo seu valor histórico. Obrigada.

      • Francisca Paschoal disse:

        Eu também não disse nada sobre isso só quis contribuir para tornar o tema mais abrangente, incentivar a pesquisa e postagens sobre feitos de muitas outras mulheres que tiveram tanta importância quanto a citada.Adorei seu artigo , que venham outros, precisamos mesmo exaltar essas mulheres esquecidas pela historia.

Deixe o seu comentário!