Resultado do desafio: ganhe um exemplar autografado de “O Príncipe Maldito”

Publicado em 21 de novembro de 2013 por - História do Brasil

Recebemos muitos textos interessantes, criativos e alguns bastante divertidos sobre como teria sido a última noite de D. Pedro II, antes da proclamação da República. Obrigada a todos que participaram. Infelizmente, tivemos de escolher apenas um. Outros desafios virão e esperamos contar com a participação de todos.

A vencedora é Bárbara Diniz Gonçalves, de Santo André, São Paulo. Parabéns. Seu livro já está a caminho, pelos Correios.

Segue o material enviado por ela – lembrem-se que é um texto ficcional:

“Era noite. O palácio de São Cristóvão via-se encoberto por uma imensa abóbada de escuridão, densa e pegajosa, na qual cintilavam escassas estrelas. Semelhante escuridão era a refletida aos olhos do homem à janela. Olhos tão azuis quanto o Oceano Atlântico que o fariam atravessar num caminho sem volta, e tão sombrios quanto um abismo por onde despencavam as últimas visões do país que tanto amava. Dom Pedro II, o monarca dos trópicos, entregou-se a humanas lembranças, temores e pesares naquele 14 de novembro, deixando que esses seus olhos ancorassem a penumbra do Paço Imperial. Escolhera, afinal, uma agonizante espera ao invés das prováveis desastrosas notícias. Exílio. O que seria pior que a ingratidão de seus patrícios? Embora não alheio à ameaça do movimento republicano, alimentava ainda a esperança de que permanecesse governante das terras tropicais. Não estariam todos malucos, afinal. Ou estariam? Confiava em Deodoro e na fidelidade de seu Brasil… Fechou a janela, apagou as luzes e deitou-se, não antes de sentir a brisa suave que lhe pareceu predizer mudanças. Não dormiu. Enquanto o torpor da escuridão se desfazia, viu delinearem-se os contornos de suas dúvidas. As respostas, porém, não tomaram forma. Obstinado, o tempo avançou como avançavam as passadas da escuridão. Passadas que transformariam irremediavelmente os rumos dos majestáticos olhos azuis”.

Bárbara D. Gonçalves

 prince

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 Comentários

  1. Eluando disse:

    Bárbara, seu texto ficou…bárbaro! rs
    Já que gosta de escrever, uma sugestão é que você faça um blog! 🙂
    Parabéns e boa leitura!

  2. Guilherme Manhães disse:

    Excelente! Parabéns, Bárbara! “O Príncipe Maldito” é sensacional. Espero que goste da leitura.

  3. Bárbara Diniz disse:

    Muitíssimo obrigada! Tenho 16 anos e sou completamente apaixonada por História e pelo reino das palavras… Quero um dia poder ser uma historiadora tão sensível quanto a Mary del Priore e arrastar também muitas pessoas através das janelas do tempo. Vocês não têm ideia do quão importante esse reconhecimento é para mim.

  4. Osvaldo Guarilha disse:

    Espetacular! Parabéns, Bárbara! Seu texto é lindo, cheio de sentimento e de humanismo. Além de mostrar conhecimento da História do Brasil, você tem o dom da narrativa inteligente que faz o leitor viajar.

    Você mereceu o prêmio. Indiscutivelmente.

Deixe o seu comentário!