Peter Burke discute como os movimentos migratórios influenciaram a história do conhecimento humano

Publicado em 9 de dezembro de 2017 por - dicas

Esta mais recente obra do historiador Peter Burke debruça-se sobre um tema que, de tempos em tempos, torna-se especialmente candente: a imigração humana. Burke empreende uma jornada em busca de entender como o deslocamento humano influencia também o deslocamento de saberes. Essa é a discussão que permeia Perdas e ganhos: exilados e expatriados na história do conhecimento na Europa e nasAméricas, 1500-2000, lançamento da Editora Unesp.

“Este livro se localiza no cruzamento de duas tendências […]: a história do conhecimento e a história das diásporas, concentrando-se nos exilados e expatriados e no que se poderia chamar de seus saberes ‘deslocados’, ‘transplantados’ ou ‘traduzidos’”, escreve Peter Burke. O historiador convida o leitor a viajar o mundo através de seus vocabulários: exilados, refugiados, expatriados. Cada nome com sua especificidade, que Burke tece com profundidade e leveza, apoiado em extenso referencial teórico.

O período temporal explorado pelo autor é bastante largo, já que traz “uma seleção de estudos de caso da história do conhecimento na Europa e nas Américas ao longo dos últimos quinhentos anos, ou, mais precisamente, de 1453, quando os otomanos tomaram Constantinopla, até 1976, quando um regime militar se estabeleceu na Argentina”, anota. “Para manusear esse tema imenso, foi preciso limitá-lo. Apesar da importância da ‘migração de habilidades’, as páginas a seguir se concentram em cientistas e acadêmicos e em suas contribuições para a ‘comunidade de aprendizagem’ e a ‘república da ciência’.”

Um dos objetivos umbilicais da obra é o de delinear “um relato dos principais movimentos de exilados acadêmicos no Ocidente ao longo de mais de cinco séculos, apresentando alguns estudos de caso com mais detalhes e, espero, mais profundidade”, sublinha. “As análises oferecidas neste livro se baseiam na biografia coletiva, ou ‘prosopografia’, um método empregado por historiadores alemães da Roma antiga e introduzido na Inglaterra pelo historiador émigré Lewis Namier.”

FONTE: Assessoria de Imprensa da Fundação Editora da Unesp.

"Perdas e ganhos: exilados e expatriados na história do conhecimento na Europa e nas Américas, 1500-2000".

Historiador inglês afirma que junto com deslocamentos em massa ou pequenos deslocamentos familiares, os saberes também mudam de lugar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários

  1. Antônio Cardoso disse:

    Pena que não foi escrito em Português. Mas o tema é envolvente.

Deixe o seu comentário!