Novo livro de moda fala sobre como a França salvou sua alta-costura durante a 2ª Guerra

Publicado em 30 de junho de 2016 por - dicas

Enquanto Paris se prepara para receber os desfiles da Semana de Alta-Costura, Anne Sebba, jornalista que já trabalhou nos maiores jornais do mundo como Telegraph, Reuters, The Times e Guardian escrevendo sobre moda, conta os dias para lançar seu novo livro: Les Parisiennes. O subtítulo, “How the women of Paris lived, loved and died in the 1940s” (“Como as mulheres de Paris, viveram, amaram e morreram em 1940”), dá a ideia do assunto geral do livro que também explora a moda na época da guerra.

Em um dos trechos, é narrado que em 1944, depois da libertação da França da guerra, enquanto o mundo ainda sofria as remanescências das batalhas militares, um grupo de artistas e designers franceses costumavam se reunir em um teatro para planejar um esquema de como fazer com que o país continuasse sendo a capital da alta-costura depois que a guerra acabasse.

O lançamento será em julho. Confira a reportagem completa na revista Elle:

História da Moda – lançamento

Mulheres_Francesas

FONTE: MdeMulher/Elle.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários

  1. Benair Ribeiro disse:

    Cara Márcia
    Interessantíssimo seu post sobre História da Moda
    Com o intuito de colaborar, envio-lhe a resenha( de minha autoria) sobre o tema Moda – livro de Dominique Veillon – “Moda & Guerra” – Zahar Ed que foi publicada pela Revista História Viva da Editora Duetto Ano 1 – n 11.

    Moda em tempo de Guerra

    Falar ou pensar em Moda, Elegância, Glamour nos remete imediatamente à Paris, tanto hoje como no passado. A importante historiadora cultural Dominique Veillon nos conta o que ocorreu com esses três ícones franceses durante a Segunda Guerra Mundial.
    Em recente publicação da Zahar “Moda & Guerra”, uma fascinante abordagem de história cultural, Dominique faz o que Lucien Febvre aconselhava aos historiadores: perder o medo de escrever história com qualidade literária.
    O campo de trabalho da pesquisadora – a moda – poderia parecer à primeira vista, sem importância ou fútil diante da tragédia que foi a Segunda Guerra e a ocupação Nazista da França. Entretanto, usando o rico material fornecido pelo comportamento humano, nos momentos de crise, ela demonstra a enorme capacidade de criatividade e preservação de marcos de uma cultura.
    Entre os relatos dos grandes lançamentos da Alta Costura e todo burburinho que acompanha esses eventos sociais, fundamentada em profunda pesquisa documental de legislação do período nazista ela mostra as dificuldades da manutenção da indústria principal de seu país diante da falta de matéria prima destinada à industria alemã. Criativos, os franceses trocam tecidos, mudam os materiais usados na confecção de calçados, inventam novos modelos e fórmulas de uso de um mesmo produto. Os franceses sofrem mas não perdem a elegância.
    Ilustrado com inúmeras fotografias de época, chega até surpreender a similitude dos modelos de calçados hoje expostos em nossas vitrines tanto de lojas chiquérrimas como populares, demonstrando que a França ainda comanda o mundo da Moda.
    Att
    Benair Alcaraz Fernandes Ribeiro

Deixe o seu comentário!