MEMÓRIAS E AUTOBIOGRAFIAS: VOZES DO PASSADO RESGATAS NO PRESENTE

Publicado em 12 de agosto de 2014 por - História do Brasil

Por Natania Nogueira.

As memórias destacam-se pela ausência do outro: o narrador é o autor, que despeja suas lembranças no papel, sem compromisso comercial, mas porque deseja ser lembrado, deseja eternizar os momentos vividos, não possui, nesta tarefa, intermediários entre a fonte (ele) e a obra (produto).  As autobiografias são expressões do “eu”, do narrador, e um depositório de experiências vividas.

Um dos nossos grandes memorialistas foi Pedro da Silva Nava. Esse mineiro, nascido em Juiz de Fora no ano de 1903, fez carreira como médico, mas ganhou fama como literato. Sua obra, baseada em suas memórias e distribuídas em seis livros, deu ao gênero “biografia” um novo impulso, o que lhe rendeu o título de maior memorialista da literatura brasileira. Em suas obras, Pedro Nava delineou vários aspectos da cultura e da política no século XX. Nava também se interessava pela pintura. Fez parte da geração modernista de Belo Horizonte, participando do Grupo Estrela.

Seus livros de memória têm uma forma diferente de abordagem. Nava reconstrói cenários do passado baseado em informações que recebeu dos parentes e amigos. Ele não apenas fala das suas memórias, mas conta história de sua família e penetra na história de Minas e do Brasil.

É bem possível encontrarmos em sebos e bibliotecas livros de memorialistas, muitos deles anônimos, que podem conter uma gama enorme de informações sobre um determinado local, sobre um determinado contexto. Embora a memória seja, em parte, uma construção, essas publicações trazem narrativas onde usos, costumes e visões de mundo são dispostas de forma a transportar o leitor para o passado. A construção de uma história local a partir de relatos de memorialistas pode ser uma opção para o resgate do passado, principalmente onde os arquivos públicos ainda não estão organizados e disponíveis à pesquisa.

PedroNava

 

Pedro Nava. Disponível em: http://www.tirodeletra.com.br/onde/PedroNava.htm, acesso em: 04/07/2014

-Sugestão de leitura:

LEVI, Giovanni. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII; trad. Cyntia Marques de Oliveira. – Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2000).

NAVA, Pedro. Baú de Ossos. – 6ª ed – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1983.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comentários

Deixe o seu comentário!