Lançamento: novo Atlas Histórico em versão online

Publicado em 11 de janeiro de 2017 por - dicas

A história do Brasil em mapas, gravuras e documentos

      O Brasil tem um novo Atlas Histórico. A Escola de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas (CPDOC) acaba de lançar uma ampla atualização e modernização do “Atlas Histórico. Brasil 500 anos”, publicado em 1998 pela revista Isto É. De acordo com a FGVNotícias, nenhum Atlas do Brasil foi publicado depois desta versão, que já completou 18 anos. A edição atual contou com apoio da Finep e é fruto do trabalho de uma equipe de pesquisadores da CPDOC, juntamente com Mariana Joffily (historiadora da UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina) e Bernardo Joffily (autor do Atlas de 1998).

     O Atlas abrange o período histórico que vai desde antes da chegada das navegações portuguesas no século XVI até o período da Nova República. A nova edição foi enriquecida com conteúdos textuais, fotográficos, sonoros e audiovisuais identificados, principalmente, no acervo histórico da CPDOC, além de documentos localizados em outras instituições.

    Cada capítulo é acompanhado de textos explicativos desenvolvidos pela equipe de pesquisa da CPDOC. Eles passaram por uma revisão e por uma atualização, de modo a torná-los mais adequados ao novo formato, voltado totalmente para consulta online. Assim, incluíram-se novos textos, imagens e documentos históricos.

   Todo o conteúdo do Atlas Histórico está disponível gratuitamente no site.

atlas2

Primeiro mapa a chamar o ¨novo mundo¨ de América, 1507. [Fonte: Biblioteca Nacional, Paris]

FONTE: FGVNotícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários

  1. Fabio Paiva Reis disse:

    Olá! Tudo bem?
    Primeiro, muito legal a notícia. Segundo, acho que há um equívoco na legenda da imagem. O primeiro mapa a trazer o nome América é sim de 1507, mas não é esse aí. É o mapa de Martin Waldseemuller. Este aí é o Atlas Miller, de 1519, um trabalho conjunto de dos cartógrafos portugueses Lopo Homem, Pedro Reinel e Jorge Reinel.

Deixe o seu comentário!