Irmandades Negras: outro espaço de luta e resistência (São Paulo: 1870 – 1890)

Publicado em 7 de novembro de 2015 por - História do Brasil

O Cedem, Centro de Documentação e Memória da Unesp, promoverá debate sobre o livro de Antônia Aparecida Quintão: “Irmandades Negras: outro espaço de luta e resistência (São Paulo: 1870 – 1890), 1ª edição – Editoras Annablume e Fapesp, 2002.

A autora discute, a partir de levantamento e análise histórica de documentos, o papel das irmandades religiosas negras no século XIX como espaço de solidariedade, resistência cultural, religiosidade e identidade racial, a despeito das tentativas da classe senhorial e das elites de controlá-las, conformando-as à estrutura da sociedade escravista. A análise sustenta-se na configuração de três seções nucleares – a constituição e organização das irmandades religiosas, o papel destas organizações ante a ingerência do catolicismo tradicional, bem como as mudanças provenientes da implantação do catolicismo ultramontano e a relação entre as irmandades negras e o movimento dos caifazes de Antonio Bento.

Movimentando-se sobre esses pontos, Antonia Quintão disponibiliza ao leitor dados e informações sobre as irmandades religiosas, destacando-as na constelação de organizações sociais do século XIX que imprimiram, direta ou indiretamente, novos rumos à história do negro brasileiro e, por extensão, à dinâmica social.

 

Expositoras

 

Antonia Aparecida Quintão: possui graduação em História, mestrado e doutorado em História Social – todos na USP. É pesquisadora no Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares do Negro Brasileiro da USP. Parecerista da Comissão da Verdade sobre a Escravidão Negra no Brasil da Secional Paulista da OAB, sócia titular do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, membro do  Geledès – Instituto da Mulher Negra, escritora e professora adjunta na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Zulmira Gomes Leite: artista plástica, em 1995 o seu quadro “Zumbilição” foi selecionado pelo MAC – USP para compor o catálogo da Mostra Comemorativa ao Tri-centenário de Zumbi dos Palmares. É graduada na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, cofundadora e presidenta da Irmandade de Nossa Senhora Aparecida e São Benedito do Lauzane Paulista.

Selma Casemiro:  começou a participar dos festejos do Rosário como Rainha de Festa de 2005 a 2006, fez parte da Pastoral Afro da Vila Nhocuné por cerca de 5 anos. Participa da entidade Movimento Cultural Penha desde 2009, é integrante da Comissão de Festa do Rosário, grupo que organiza ações culturais voltadas à valorização da Igreja do Rosário dos Homens Pretos da Penha de França, patrimônio cultural da Penha do século XVIII.

Mediação

Jacy Machado Barletta:  graduada em História, especialista em Organização e Métodos de Arquivos, mestre em História e Historiografia da Educação – todos pela USP. Desenvolve trabalhos na área de arquivística, é historiógrafa no Cedem/Unesp.

 

Participe e convide os amigos!

 

Inscrições gratuitas – enviar nome completo, e-mail e instituição para:

Sandra Santos (organização e produção), e-mail: ssantos@cedem.unesp.br

Data, horário e local: 09/11/15, 2ª feira às 18h30 – Praça da Sé, 108 – 1º andar (metrô Sé)

Duração: 2h30 – 60 lugares
Certificado de participação: a ser retirado no evento.

Jean-Baptiste_Debret_Coleta_de_esmolas_para_irmandades_(acendedor_de_lampiões)

Debret: coleta de esmolas para irmandade

dos acendedores de lampião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comentários

Deixe o seu comentário!