A repressão aos imigrantes japoneses no pós-guerra

Publicado em 3 de setembro de 2015 por - História do Brasil

   “Yami no Ichinichi– o crime que abalou a colônia japonesa no Brasil” (2012), de Mario Jun Okuhara, é um documentário que aborda questões como intolerância e da xenofobia – temas tão importantes na atual conjuntura. O filme retrata as graves violações de direitos humanos perpetradas contra a população japonesa no Brasil, durante a ditadura de Getúlio Vargas (1937-1945) e o governo constitucional de Eurico Gaspar Dutra (1946 a 1951). As restrições impostas pelo Estado brasileiro impediram qualquer forma de comunicação em língua japonesa.

O filme mostra a saga de Tokuichi Hidaka, que, em 1946, aos 19 anos de idade, foi um dos autores do assassinato do coronel Jinsaku Wakiyama, em crime atribuído a uma entidade denominada Shindo Renmei (Liga dos Caminhos dos Súditos). Entregou-se à polícia com o restante do grupo e cumpriu 15 anos de prisão. Em liberdade, sofreu a punição da colônia japonesa: foi discriminado, condenado ao ostracismo, sem oportunidade para contar a sua versão. Décadas mais tarde, Hidaka inicia uma busca por amigos e pessoas desse período para reconstruir a memória da época e encontrar o sentido da sua vida no Brasil.

“Yami no Ichinichi” revelou casos de tortura e morte reconhecidos pela Comissão Estadual da Verdade “Rubens Paiva”, em seção realizada com o apoio da Comissão Nacional da Verdade, em 10 de outubro de 2013. Evidenciou-se a perseguição de caráter político contra 172 imigrantes japoneses, detidos no Instituto Correcional da Ilha Anchieta (Ubatuba/SP), de 1946 a 1948. Foram imputadas, aos 172 indiciados, as acusações de crime contra a segurança nacional e de infração dos artigos do decreto-lei nº 383, de 1938.

A realização do documentário possibilitou o resgate desse período da História desconhecido por brasileiros e descendentes de japoneses, propiciando o pedido de retratação pública ao Estado (sem cunho pecuniário), como reconhecimento oficial dos valores intrínsecos de um povo e de sua contribuição para o processo histórico de formação da Nação brasileira.

Assista ao filme completo (90 minutos) pelo link:

http://youtu.be/QDf_egB3MG4

yami-no-ichinichi

No dia 17 de setembro de 2015 (quinta-feira), às 18h 30, o Cedem, Centro de Documentação e Memória da Unesp, promoverá um debate sobre o documentário.

Inscrições gratuitas – enviar nome completo, e-mail e instituição para:

Sandra Santos (organização e produção), e-mail: ssantos@cedem.unesp.br

Data, horário: 17/9/15, 5ª feira às 18h30 – Local: Praça da Sé, 108 – 1º andar (metrô Sé)

Duração: 2h30 – 60 lugares – Certificado de participação: a ser retirado no evento

www.facebook.com/cedemunesp –  www.cedem.unesp.br – (11) 3116–1701.

yami-no-ichinichi (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comentário

  1. Max Tolentino disse:

    Precisamos de publicações consistentes como estas .

Deixe o seu comentário!